Muita inadimplência em seu Condomínio?

O que fazer? Veja aqui algumas dicas para o síndico.

A questão da inadimplência nos Condomínios é questão que sempre incomoda, tanto à própria gestão e Administração quanto os demais condôminos que fazem seus pagamentos em dia.

Vários fatores têm contribuído para o aumento da quantidade de inadimplentes. Podemos citar a atual situação financeira de nosso país, que gera crise econômica em boa parte da população, e a atual taxa de multa fixada legalmente ao valor de 2% (taxa bem mais convidativa que o juros do cheque especial praticados pelos bancos).

Na maioria das vezes, a inadimplência traz para os condomínios transtornos relacionados ao desequilíbrio das contas mensais que não param de vencer. Em regra, este desequilíbrio é suportado pelos demais condôminos (¨bons pagadores¨), em especial quando o condomínio não possui reserva de caixa e acaba por ¨entrar no vermelho¨.

Por isto tudo é muito importante que o síndico, em sua gestão, realize ações que visem a diminuição da inadimplência.

E então, o que fazer?

Algumas ações que podem ser desenvolvidas neste sentido:

Conscientização – busque sempre difundir a todos os moradores que o não pagamento da cota condominial em dia pode trazer transtornos para a coletividade e deve ser evitado a todo o custo.

Incentive a assiduidade – o síndico pode criar alguma forma de premiar os condôminos que realizam pagamentos em dia. Exemplo: descontos concedidos na taxa de utilização do Salão de Festa para aqueles que pagam corretamente dentro do período de um ano.

Notificações – busque sempre realizar a imediata notificação do atraso do pagamento ao interessado. A forma e definição da data da notificação pode ser definida em assembleia e deve ser medida eficaz.

Reserva financeira – sempre que possível, faça uma reserva de numerário com o objetivo de suportar o débito gerado pelos maus pagadores, evitando trazer maiores problemas para a coletividade.

Definição de regras – deve ser levado à aprovação em assembleia, um conjunto de regras e procedimentos a serem tomados no caso da inadimplência (exemplo: a partir de qual período deve ser executada judicialmente a dívida). Estas regras devem ser amplamente difundida a todos os condôminos.

Busca da negociação – buscar sempre alguma forma de negociação de dívidas com os inadimplentes. Por vezes, é mais interessante a realização de um acordo que busque a quitação das dívidas (a exemplo do parcelamento), do que prolongar a situação que pode trazer transtornos aos demais moradores.

Diminua gastos com ações judiciais – os gastos com execução judicial dos inadimplentes são altos. Visando minimizar isto, atualmente, grande parte das administradoras de condomínio oferecem em seu pacote de serviços (pagos mensalmente pelos condomínios) a realização de acionamento judicial dos inadimplentes, sem novos custos para o Condomínio. Trata-se de serviços advocatícios que visam a execução judicial dos inadimplentes. Desta forma, esta rotina não gera novas despesas e diminui os transtornos causados aos demais moradores.

CONCLUSÃO

A inadimplência de alguns condôminos pode trazer transtornos para a boa gestão do síndico e para a coletividade, constituída em sua grande maioria por ¨bons pagadores¨.

Assim, o síndico deve buscar realizar ações que visem minimizar o número de inadimplentes em seu condomínio. Um trabalho organizado e meticuloso neste sentido pode ser realizado com a adoção de alguma ou todas as medidas acima expostas.

E você, ainda é síndico de primeira viagem? Baixe Grátis o Manual Básico do Síndico Moderno Eficiente!

Você também pode se interessar:

About the Author:

Equipe de marketing e consultor jurídico especializados na área de condomínios. Acreditamos em empreendedorismo e na busca de soluções de TI que podem otimizar as relações entre indivíduos para contribuir com a gestão de forma colaborativa.

Leave A Comment

WhatsApp chat